Como funciona a mamoplastia de redução?

Mamoplastia Redutora

Algumas mulheres sentem desconforto e incomodo devido ao grande volume dos seus seios, que podem provocar vários problemas de saúde, principalmente desvios de coluna, dores na região dos ombros e até mesmo nas mamas.

A mamoplastia é uma cirurgia plástica que reduz, aumenta ou modela o tamanho e formato dos seios, de acordo com as necessidades da paciente.

Nas mulheres que sofrem física e emocionalmente com o peso de seus seios, a mamoplastia de redução é uma solução viável e capaz de promover efeitos positivos, inclusive na autoestima de quem opta por realizá-la.

Essa cirurgia consiste em remodelar as mamas ao remover o excesso de pele e tecido mamário, que inclui gordura e tecidos glandulares, para obter um resultado harmonioso entre os seios e o corpo da paciente.

Com o avanço das pesquisas na área de cirurgia plástica e mamoplastia no geral, a cicatriz, que costumava ter um tamanho extenso, hoje conta com uma técnica em “D” espelhado, que diminui a amplitude da cicatriz, garantindo à paciente um resultado esteticamente agradável.

Iniciando o procedimento cirúrgico da Mamoplastia

Para dar início ao procedimento cirúrgico, é importante consultar-se com um médico especialista, que irá direcionar a pessoa para o método mais correto e mostrar quais expectativas podem ser atingidas com a cirurgia.

Pode ser necessário ntos, evitando possíveis riscos durante o processo.

Antes da cirurgia é importante salientar que a paciente deve estar em jejum de 8 horas e caso fume, suspender o hábito com antecedência antes da operação.

A anestesia é peridural com sedação e o tempo de duração do procedimento pode variar até 4 horas.

Alguns cuidados após a cirurgia garantem um resultado positivo, como usar um sutiã cirúrgico por pelo menos 3 semanas sem interrupção, evitar exercícios físicos que exigem muito esforço pelo menos nos primeiros dias, adotar uma alimentação balanceada durante a primeira semana e usar curativos na região operada e trocá-los de acordo com a indicação do médico.

Para auxiliar na cicatrização, é importante usar uma fita e um gel de silicone após a terceira semana.

Como em qualquer intervenção cirúrgica, alguns imprevistos podem acontecer, como a formação de queloides no local, hematomas, necrose da auréola e perda da sensibilidade na região.

Mas se os cuidados essenciais forem tomados, há uma grande possibilidade de nenhum desses problemas aparecer.

Os resultados finais podem ser observados com precisão após seis meses de cirurgia ou quando as mamas estiverem totalmente cicatrizadas.