O que é Transtorno Dismórfico Corporal (TDC)

O que é Transtorno Dismórfico Corporal

O Transtorno Dismórfico Corporal (TDC) é um transtorno psicológico referente a uma preocupação excessiva e fora do normal com algum defeito bem pequeno no corpo ou algum defeito que simplesmente não existe.

A pessoa se torna extremamente obsessiva com a aparência e nunca satisfeita com a própria imagem.

O TDC afeta a autoestima e a vida social da pessoa que o tem e, em muitas vezes, a pessoa já traz esse sofrimento da infância ou adolescência, períodos esses nos quais ocorre muito bullying.

Provocado, na maioria dos casos, em pessoas com: acne, rugas, calvície, nariz grande, peitos grandes ou pequenos, obesidade, dentes com falhas, entre outros.

Pessoas com o Transtorno Dismórfico Corporal, muitas vezes, acham que recorrer à cirurgia plástica é a solução, mas a família, amigos e médicos devem ajudar e orientar para que não haja procedimentos cirúrgicos sem necessidade.

Pode ser que, em casos mais leves, a cirurgia plástica até sirva como parte do tratamento, mas a decisão deve vir depois de muita conversa com psicólogo e especialistas.

Geralmente, quando a pessoa tem Transtorno Dismórfico Corporal e se sujeita a alguma cirurgia plástica, no começo até se sente melhor, mas depois encontrará outra parte em seu corpo para ser o próximo foco da obsessão. Dessa forma, o problema ainda permanece, pois o que realmente precisa ser feito é a cura do TDC.

Estudos apontam que pessoas com TDC são mais propensas a cometer suicídio e que o problema também é um grande causador de transtornos depressivos e de ansiedade.

A bulimia, anorexia e a compulsão por atividades físicas e usos de esteroides também estão ligados ao Transtorno Dismórfico Corporal. Por isso a importância de reconhecer o transtorno e procurar um tratamento adequado.

Como reconhecer o Transtorno Dismórfico Corporal em uma pessoa?

Pessoas que demonstram ser fortes candidatas ao desenvolvimento do Transtorno Dismórfico Corporal, frequentemente, apresentam algumas das seguintes reações:

  • Pensa em suas falhas de 3 a 8 horas por dia;
  • Fica se observando de forma obsessiva e exagerada, enxergando o “defeito” de forma cada vez maior, ou evita completamente se olhar no espelho;
  • Tem baixa confiança, compara sua aparência com a de outras pessoas;
  • Tenta disfarçar, se esconder, tem vergonha e se sente inferior, não tem vontade de sair de casa;
  • Em alguns casos, tem compulsão por dietas e exercícios.

O TDC tem cura e o primeiro passo é ter mais aceitação do corpo, não se deixar influenciar, ter consciência de que não é preciso se encaixar no padrão imposto pela sociedade.

Fazer o que gosta de fazer e o que deixa feliz também ajuda, e muito, mas o essencial é procurar especialistas que possam ajudar com um tratamento psicológico em longo prazo.