Qual a diferença da lipoaspiração para lipoescultura?

Qual a diferença da lipoaspiração para lipoescultura?

A lipoaspiração e a lipoescultura são cirurgias muito semelhantes, o que gera dúvidas sobre a diferença entre elas. Para saber qual é a mais indicada para o paciente, é importante conhecer melhor as características de cada uma.

Ambas contribuem para a retirada de gordura e deixar os contornos do corpo mais bonitos. Mesmo assim, há diferenças entre os dois procedimentos que precisam ser abordadas.

Por isso, vamos mostrar como eles são realizados.

Como funciona a Lipoaspiração

Nela, é feita a eliminação do excesso de gordura corporal debaixo da pele por meio de uma cânula – pequeno tubo de aço inoxidável.

Ela é inserida no corpo do paciente por incisões de 04 mm. Isso é feito para fixá-la a uma bomba de aspiração a vácuo, responsável por sugar e eliminar a gordura indesejada do corpo do paciente.

Apenas cirurgiões plásticos podem fazer esse procedimento. Para essa operação ser bem-sucedida, é muito importante escolher um local, onde haja equipamentos médicos e estrutura adequados.

Desconforto e dor são bastantes comuns na primeira semana depois da cirurgia. A drenagem linfática, a cinta pós-operatória e medicamentos ajudam a tornar a recuperação mais tranquila.

A extensão da cirurgia influi no retorno para o trabalho, sendo possível retornar ao serviço em menos de uma semana, se for pequena a quantidade de gordura eliminada.

Quando a região lipoaspirada for grande, é melhor ficar mais de uma semana de repouso.

Como funciona a Lipoescultura

Essa técnica também promove a eliminação de gordura do corpo. A principal diferença é que o material retirado é utilizado para ser enxertado em outras regiões do corpo, como bumbum, pernas e sulcos do rosto.

Pelo fato de a gordura enxertada ter origem no corpo do próprio paciente, as possibilidades de rejeição são mínimas.

A maioria do material recolocado em outras regiões do corpo é absorvida pelo organismo. Em geral, a quantidade de gordura retirada é menor do que na lipoaspiração. Além disso, as cânulas empregadas na cirurgia são bem mais finas.

Após a cirurgia, o paciente apresenta dor e hematomas no local, onde a gordura foi aspirada. O inchaço é visto na região em que a gordura foi introduzida.

O tempo de recuperação varia de sete dias a 1 mês, dependendo do volume de gordura retirada e do local.

Nas primeiras 48 horas, é recomendado usar cinta elástica, não fazer esforços e movimentar as pernas com frequência.

Também é importante ingerir os remédios prescritos pelo médico e remover os pontos depois de sete dias.

Emagrecimento

As duas técnicas não devem ser usadas para o emagrecimento. Ambas têm como meta melhorar o contorno corporal e contribuir para acabar com o excesso de gordura, quando o paciente não faz isso por meio de dieta e exercícios físicos.

A lipoaspiração e a lipoescultura possibilitam a eliminação de células de gordura de algumas regiões do corpo. Porém, elas não modificam o metabolismo do paciente e nem possuem influência na capacidade de engordar ou emagrecer.

Ter uma alimentação correta e praticar atividades físicas com frequência são iniciativas fundamentais para manter os bons resultados das cirurgias e a saúde em boa condição.

Outra ação importante é evitar, ao máximo, grandes variações de peso.

Para escolher o melhor procedimento, a recomendação é passar por uma avaliação de um cirurgião plástico. Dialogando com o médico, fica mais fácil alinhar as expectativas e analisar a melhor alternativa para obter os resultados esperados.

Com o objetivo de garantir a segurança dos pacientes, essas duas cirurgias devem ser realizadas apenas em hospitais, onde existe a estrutura necessária para o procedimento ser realizado da melhor forma possível.