Vamos falar de Lipoaspiração

A lipoaspiração é um dos procedimentos mais procurados nos consultórios de cirurgiões plásticos. E, nos últimos tempos, é uma das intervenções que mais foram aperfeiçoadas, permitindo ótimos resultados, com poucos traumas.

Vale destacar alguns pontos importantes sobre a lipoaspiração: o primeiro deles, é que este não é um método de emagrecimento, mas sim uma técnica para melhorar o contorno corporal e um meio de eliminar gordura acumulada no abdome, cintura, coxas, culotes e costas.

Para passar por tal procedimento, é feita uma avaliação em exame físico para checar o grau de flacidez da pele e sua capacidade de retração.

Há o alerta de que pacientes muito acima de seu peso ideal devem emagrecer antes de passar por uma lipo. No pré-operatório, os cirurgiões plásticos, como é o caso do Dr. Juan Sánchez, solicitam exames laboratoriais e clínicos.

A internação dura de 24 a 48 horas, a incisão para entrada da cânula é mínima (em torno de 5 a 10 mm) e é feita próxima do local onde há o acúmulo de gordura.

No pós-operatório, a região fica dolorida e com edema, que, geralmente, desaparece em 15 dias. O uso de pomada recomendada pelo médico acelera o desaparecimento de manchas roxas, enquanto a cinta elástica facilita a reabsorção do inchaço e ajuda no processo de cicatrização dos tecidos.

MAIS ORIENTAÇÕES DEPOIS DA LIPO

Depois de passar por um procedimento de lipoaspiração, recomenda-se que não haja exposição do paciente ao sol pelo período de, aproximadamente, dois meses.

O resultado considerado definitivo da lipo vem após seis meses. Neste período, quando o tecido vive o processo de cicatrização, podem acontecer edemas e insensibilidade local.

Vale ressaltar, também, que a escolha adequada da técnica e remoção da quantidade apropriada de gordura reduzem, em muito, a possibilidade de irregularidades na superfície da pele.

Caso ocorram tais irregularidades, após seis meses o médico poderá recorrer a técnicas de enxertia da própria gordura do paciente nas regiões onde houver depressões.

Em regiões com pequenas elevações, pode-se utilizar uma cânula bem fina para aspirar os excessos.

MAIS OPÇÕES PARA MÉDICO E PACIENTE

Hoje em dia, são várias as opções para se fazer uma lipo. As técnicas são diversas e diferentes das maneiras em que eram feitas quando surgiram, em 1975.

Nesta época, a lipoaspiração era realizada sem a introdução de líquido no tecido adiposo. A injeção de soluções líquidas, adotada hoje, quebra as células de gordura, além de reduzir o sangramento e o trauma.

Após esta infiltração, o médico pode usar o método de sua preferência para aspirar a gordura. A escolha deve ser feita por médico experiente, como Dr. Juan Sánchez.

Entre as opções, destacam-se a lipo clássica, a lipoaspiração tumescente, a vibrolipoaspiração, a lipo a laser, a water-jet lipo, a lipo ultrassônica e a lipo por radiofrequência.

ALGUNS TIPOS DE LIPOASPIRAÇÃO

A lipo clássica é a técnica tradicional e usa cânulas de diversos diâmetros conectadas a um aparelho ou seringas que aspiram as células adiposas com movimentos de vai e vem.

O pós-operatório é mais doloroso e a indicação é para qualquer parte do corpo. É um método simples, de baixo custo e com bons resultados.

Na lipoaspiração tumescente, há o uso de microcânulas e injeta-se na área a ser tratada uma solução de lidocaína (anestésico local), epinefrina (potente vasoconstrictor) e soro fisiológico.

A solução facilita a retirada da gordura, além de diminuir o sangramento e reduzir o trauma. Também é um procedimento indicado para qualquer parte do corpo. A recuperação, neste método, é mais rápida e com menos dor.